• Português
  • English

Espetáculo circense marca início das ações do Purple Day 2022 em Natal

23/03/202216:40

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O picadeiro do circo foi o cenário escolhido pela ApoiE Epilepsia e pelo Instituto Santos Dumont (ISD) para uma ação com o objetivo de desmistificar a epilepsia. Usando o lúdico como canal de comunicação entre artistas circenses, médicos e um público formado por pais, familiares e amigos de pessoas com epilepsia, o evento, realizado nesta terça-feira, 22, marcou a abertura das atividades relacionadas ao Purple Day 2022 em Natal, que se encerrará no próximo dia 26 com uma palestra virtual com especialistas da área com atuação local e nacional. 

 

A abertura do espetáculo ficou sob a responsabilidade do Palhaço TxioGuga, personagem do dentista Gustavo Henrique da Silva (@gustavo.henrisilva), que atua no tratamento de crianças e adolescentes com deficiências como paralisia cerebral e autismo, por exemplo. “Necessitamos mostrar à sociedade que a epilepsia, as deficiências em geral, não devem impedir que as pessoas que convivem com essas condições sejam respeitadas e vivam da melhor forma possível. Essa ação no circo mostra que é necessário quebrar estigmas, preconceitos e informar para formar crianças, jovens e adultos cada vez mais conscientes e atuantes na disseminação de informações corretas sobre a epilepsia. Foi uma honra participar desse momento lúdico e cheio de significado”, afirmou Gustavo. 

 

A preceptora médica neuropediatra do ISD, Celina Reis, participou da ação com o TxioGuga e ressaltou a importância de explicar à sociedade que a epilepsia é uma doença crônica, com tratamento acessível e que afeta pessoas de todas as idades, etnias e classes sociais. Mesmo assim, a doença ainda é marginalizada. Para ela, o espetáculo circense teve um papel educativo, além do divertimento. “A sociedade vem procurar o lazer, o divertimento e se surpreende com uma informação importante. Ela vai assimilar mais, por estar em um momento prazeroso, e vai difundir mais. A gente sabe que as questões da vida precisam ser enunciadas em qualquer momento. Essa é a importância do momento de lazer, do momento lúdico, para a gente falar um pouquinho e lembrar sobre a importância de conhecer as questões da epilepsia”, destacou Celina Reis.

 

Na plateia, crianças, adolescentes e adultos, com ou sem epilepsia, comungavam da magia do circo. A cada ato, a empolgação aumentava e a interação se estreitava entre os palhaços residentes, Bisteca e Bochechinha, bailarinos e demais artistas que dividiam o tablado com crianças e adultos espectadores. O ponto alto do espetáculo ocorreu durante a apresentação do ilusionista Hórus, que explorou truques de mágica para prender a atenção de todos. “Foi lindo ver o encantamento de cada criança a cada ato, a cada cena”, comentou Luciana Monte, membro da ApoiE Epilepsia, instituição que representa o Purple Day no Brasil. “Esperamos que cada um se torne multiplicador das informações que foram repassadas”, emendou Andréa Hart, também da ApoiE. 

 

A atuação do Instituto Santos Dumont (ISD) foi destacada por Lusia Saraiva, mãe de Flor, de 12 anos, que tem epilepsia farmacorresistente, ou seja, que não consegue ser controlada mesmo com a combinação de medicamentos. “Quero agradecer ao Instituto Santos Dumont pelo o que ele faz aqui no nosso Estado pelas pessoas que têm epilepsia. Hoje, o ISD tem uma clínica de epilepsia refratária com equipe multidisciplinar, preparada e fazendo atendimento totalmente pelo SUS para a toda população de Natal e 7ª Região de Saúde (Macaíba, Parnamirim, Extremoz e São Gonçalo do Amarante)”, frisou Lusia Saraiva, que também atua junto à ApoiE Epilepsia. 

 

O que é o Purple Day

Popularmente conhecido como Purple Day (Dia Roxo), o Dia Mundial de Conscientização Sobre Epilepsia já se propagou mundialmente. Aqueles que sofrem com a doença enfrentam desafios constantes, mas em um dia do ano (26/03) acontece uma “força-tarefa” para elucidar os principais aspectos da epilepsia e mostrar como os pacientes podem ter uma rotina com mais qualidade de vida.

 

Motivada por suas próprias experiências com a epilepsia, Cassidy Megan, uma garota de apenas nove anos na época, criou o Purple Day junto à Associação de Epilepsia da Nova Escócia (Canadá) no ano de 2008. Seu objetivo era esclarecer os mitos em torno da doença e compartilhar o sentimento de isolamento que faz parte das pessoas que sofrem com preconceito. Assim, Cassidy escolheu a cor roxa por ser a mesma da lavanda, planta cuja flor é frequentemente associada à solidão.

 

Em 2009, a Fundação Anita Kaufmann e a Associação de Epilepsia da Nova Escócia criaram estratégias e conseguiram patrocinadores globais para lançar o Purple Day internacionalmente.

 

Programação do Purple Day em Natal

 

Purple Day em Campo 

Dia: 23/03

Horário: 20h 

Local: América Futebol Clube entra no campo da Arena das Dunas com faixa do Purple Day 

 

Purple Day realiza palestras com especialistas voltada para profissionais de saúde

Dia: 24/03

Horário: 19h 

Local: Auditório da Clínica Vivianny Lopes – Rua Professor Antônio Campos, 1840 Lagoa Nova

 

Epilepsia: Corpo e Mente

Dia: 26/03

Horário: 15h

Local: Clínica Vivianny Lopes Green – Av. Rui Barbosa, 1125 Lagoa Nova

 

Purple Day Brasil 2022

Dia: 26/03

Horário: 09h às 12h

Evento virtual

Neste ano, o “Purple Day® Brasil 2022 – Com você todos os dias” será online e 100% gratuito. Serão reunidas grandes personalidades, médicos especialistas, profissionais de saúde, como o neurocirurgião e preceptor médico do ISD, Hougelle Simplício, entre outros. 

Inscrições: www.purpleday.apoieepilepsia.com.br 

Texto:  Ricardo Araújo / Ascom – ISD

Foto: Mariana Ceci / Ascom – ISD

Assessoria de Comunicação
comunicacao@isd.org.br
(84) 99416-1880

Instituto Santos Dumont (ISD)

É uma Organização Social vinculada ao Ministério da Educação (MEC) e engloba o Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra e o Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi, ambos em Macaíba. A missão do ISD é promover educação para a vida, formando cidadãos por meio de ações integradas de ensino, pesquisa e extensão, além de contribuir para a transformação mais justa e humana da realidade social brasileira.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
EDUCAÇÃO EM SAÚDE
REABILITAÇÃO

RECOMENDAMOS