• Português
  • English

Com teatro de fantoches, profissionais do ISD alertam pacientes sobre importância do aleitamento materno

04/08/202109:13

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na Semana Mundial do Aleitamento Materno 2021, médicos preceptores e alunos do Instituto Santos Dumont (ISD) montaram um mini-espetáculo com fantoches para alertar grávidas, puérperas e a comunidade em geral sobre a importância da amamentação. A peça foi encenada no início da tarde desta segunda-feira (2/08) na área de convivência do Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (Anita), em Macaíba, enquanto os pacientes eram aguardados para atendimento.

 

Médicos preceptores, uma assistente social e um estudante de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que está fazendo estágio no Anita participaram da peça e deram vida aos personagens Geninha, Fred, Clarice, Vovó Júlia e Rosy. Juntos, eles destacaram a necessidade do recém-nascido ser alimentado somente com o leite materno, que é a fonte mais rica de vitaminas e nutrientes até, no mínimo, os seis meses de vida.

 

“Não há nada que substitua o leite materno. Para os recém-nascidos, não é recomendado nada além do leite materno”, reforça o médico preceptor em Pediatria do ISD, Ruy Medeiros, que interpretou o personagem Fred. Infelizmente, a falta de informações sobre a importância do aleitamento materno é uma realidade comum em diversas famílias. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que apenas 38% das crianças no mundo se alimentam exclusivamente de leite materno nos seis primeiros meses de vida. A intenção é que até 2025 esse número chegue a pelo menos 50%, o que ainda é pouco.

 

Estudos apontam que o aleitamento materno pode reduzir em até 13% a taxa de mortalidade de crianças com menos de dois anos, sendo sugerido pela OMS e o Ministério da Saúde (MS) que o ato de amamentar seja realizada por dois anos ou mais e que o leite materno seja o alimento exclusivo na dieta do recém-nascido até o sexto mês de vida. A médica preceptora em Ginecologia e Obstetrícia do Instituto, Thaíse Lopes, chama atenção para o tema. “O leite materno é o melhor alimento, o mais completo. Mesmo com covid, a mãe que não apresentar sintomas graves deve amamentar”, frisa a especialista.

 

O estudante de Medicina Gabriel de Nadai, em estágio no Anita, destaca que a experiência de interpretar uma personagem no teatro de fantoches é importante para aproximar o profissional do paciente e da comunidade. “É um momento que nos aproxima das pessoas, através da linguagem popular do teatro de fantoches. A gente precisa falar de uma forma mais simples, mais próxima da realidade da comunidade.  Mas, nem sempre, coloca isso em prática”, ressalta.

 

Durante a peça também foi destacada a importância da doação do leite materno.  Atualmente, existe uma queda no número de doadoras, em cerca de 30%. O ideal para conseguir suprir a demanda do Estado, inclusive dos hospitais privados que também demandam os serviços, é de uma captação de 15 litros de leite por dia. Só a demanda interna da Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC), em Natal, gira em torno de 6 a 8 litros diários.

 

“O leite materno é muito importante para a criança até os dois anos de vida ou mais. Nos primeiros seis meses, o bebê que mama no peito não precisa de nenhum outro alimento, pois o leite materno é completo e tem tudo o que o bebê precisa, inclusive a água”, ressalta Renata Rocha, assistente social do ISD.

 

Para quem quer ser doadora

Para ser doadora, a mulher deve estar saudável (sem nenhum processo gripal), além de não ter doença infectocontagiosa, como HIV/Aids, sífilis e hepatites, nem ter tomado medicamento de uso contínuo, como psicotrópicos. Para a coleta do leite, deve-se primeiramente lavar as mãos com água e sabão e usar touca e máscara, então coleta-se o leite em um frasco esterilizado.

 

Qualquer quantidade de leite pode ajudar. Dependendo do peso do recém-nascido, 1 ml já é suficiente para nutri-lo a cada refeição. Vale ressaltar que o pote não precisa estar cheio para doar e fazer a diferença.

 

Como doar

Basta ligar para o telefone 84 3342.5800 e fazer o cadastro e agendamento. Serão disponibilizadas informações sobre os procedimentos de doação. A doadora receberá em casa um kit com os recipientes de vidro e tampa de plástico esterilizados.

Texto:  Ricardo Araújo / Ascom – ISD

Foto: Ricardo Araújo / Ascom – ISD

Assessoria de Comunicação
comunicacao@isd.org.br
(84) 99416-1880

Instituto Santos Dumont (ISD)

É uma Organização Social vinculada ao Ministério da Educação (MEC) e engloba o Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra e o Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi, ambos em Macaíba. A missão do ISD é promover educação para a vida, formando cidadãos por meio de ações integradas de ensino, pesquisa e extensão, além de contribuir para a transformação mais justa e humana da realidade social brasileira.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
CEPS
EDUCAÇÃO EM SAÚDE

RECOMENDAMOS