• Português
  • English

Alunos abordam cultura Hip Hop na oficina Ciência e Arte - CEC Macaíba

13/06/201615:24

13/06/2016

Texto e fotos: Divulgação CEC Macaíba

Edição: Ariane Mondo – Ascom ISD

hip-hop-cec-macaiba-3

Preparando em sala de aula

No primeiro semestre de 2016, a Oficina de Ciência e Arte do Centro de Educação Científica (CEC), unidade Macaíba (RN), desenvolveu com os alunos um trabalho voltado para a cultura Hip Hop, refletindo sobre essa expressão cultural e realizando um levantamento dos problemas encontrados em suas comunidades. Nas aulas se discutiu sobre a estética presente no grafite e também se desconstruiu a desigualdade de gênero.

Os alunos conheceram a origem da cultura Hip Hop, o seu surgimento nos subúrbios dos EUA com representações da realidade de minorias locadas em favelas e distritos marginalizados por serem de maioria da população negra. A proposta da Oficina destaca que as artes servem como ferramenta de expressão, de denúncia e de protesto, pela via de músicas em estilo “Rap” e “Hip Hop”, o estilo de dança “Break” e a pintura representada pelos grafites.

Os educandos trouxeram temas como periferia, violência, ostentação e drogas, que são denúncias típicas das músicas de Hip Hop. Eles também trabalharam o movimento que expressa tudo isso por meio da arte unindo música, discursos/poesia, dança e grafite. A cultura Hip Hop é uma manifestação cultural e artística híbrida e contemporânea.

Para ajudar na confecção do projeto dos painéis de grafite, foram estabelecidas temáticas sociais características das periferias, levantando com os alunos os problemas encontrados em suas comunidades para produzirem um estêncil reutilizando radiografias que simbolizem em imagens o que foi trazido na composição musical. Foi abordada a música “norte, nordeste me veste” do artista cearense, RAPadura XC, que mistura a embolada com o hip hop. Por meio da letra, os educandos puderam refletir sobre o que eles mesmos gostariam de denunciar sobre sua realidade, além de abordar o orgulho de ser nordestino e a necessidade de manter as raízes. Os alunos fizeram um esboço/projeto de uma arte para compor o painel de grafite e as representações trouxeram, no geral, temas como violência, falta de saneamento em ruas e a prevenção contra o mosquito da dengue.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

RECOMENDAMOS